Saiba por quais razões determinados alimentos geram dependência em algumas pessoas

Preferidos por muitas pessoas, alguns alimentos chamam atenção justamente por serem os mais consumidos, sobretudo quando se está ansioso ou triste. Dentre o que costuma ser consumido, estão a batata frita, o chocolate, os refrigerantes, o café e os doces de uma maneira geral. A constatação é fruto de uma reportagem produzida pelo Portal de Notícias Terra, que entrevistou duas especialistas no assunto: as médicas Ana Luísa Vilela e Heloísa Gersgorin.

O chocolate, de acordo com Heloísa, é rico em determinadas substâncias capazes de aumentar a serotonina do organismo de quem o consome. Isso ocasiona sensações de bem-estar e relaxamento. Com isso, a pessoa tende a querer repetir sempre o mesmo processo, gerando uma espécie de dependência. Ana Luísa, por sua vez, esclarece que o alimento produz esse efeito em razão da existência de diversos ingredientes em sua composição, como por exemplo, as gorduras.

A batata frita se destaca em razão das gorduras saturadas que possui, bem como pelo fato de apresentar teor elevado de sal. Esses dois fatores, conforme aponta Heloísa, fazem com que o indivíduo tenha dificuldade em se sentir saciado, querendo comer cada vez mais esse tipo de alimento. As consequências, entretanto, não são positivas, já que ao se comer indiscriminadamente esse tipo de petisco pode-se desenvolver doenças como a hipertensão e a obesidade.

Os refrigerantes já são considerados vilões por muitas pessoas, de modo que algumas deixaram de consumi-los. Além da taxa elevada de açúcares, outro ingrediente é responsável pela dependência que ele produz. Trata-se da cafeína, também presente no café, afirma Ana Luísa. As artérias, nesse caso, são as maiores prejudicadas, uma vez que estas bebidas geram danos severos nessas estruturas. O desenvolvimento de diabetes é outro mal que pode ocorrer, lega Heloísa.

Se nos refrigerantes a cafeína já está presente em alto nível, no café o teor é ainda maior. Ana Luísa explica, contudo, que a bebida não é a que mais possui a substância, já que chás também podem contê-la. Desse modo, é muito frequente que diversas pessoas se sintam frequentemente motivadas a ingeri-las, demonstrando uma relação de dependência. Em relação aos doces, ela salienta que o açúcar é o fator que determina o vício.

Saiba mais:

https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/bem-estar/conheca-os-cinco-alimentos-mais-viciantes-e-como-podem-prejudicar-sua-saude,e8cfff5e06691a9fb030baa804f277246dx8yb7d.html


Empreendedorismo

Os empresários são pessoas que começam seu próprio negócio. Eles são conhecidos por abraçar riscos, ter grandes ideias e fazer grandes inovações que mudam a forma como os outros fazem negócios. Enquanto qualquer um que inicia um negócio tem um pouco do espírito empreendedor, os verdadeiros empreendedores se distinguem por uma certa qualidade visionária – pense em Steve Jobs, por exemplo, que reinventou como as pessoas interagem com telefones e computadores, ou Mark Zuckerberg, que transformou nos mantemos conectados com amigos e familiares e absorvemos as notícias.

Se você está se candidatando a um emprego que exige espírito empreendedor ou se está interessado em abrir uma empresa, convém rever essa lista das quatro principais habilidades mais importantes para empreendedores, bem como uma lista extensa de todas as habilidades que os empreendedores tendem a possuir.

Como usar as listas e notícias de habilidades: Você pode usar essas listas de habilidades em todo o processo de procura de emprego. Você pode usar essas palavras de habilidade em seu currículo. Na descrição do seu histórico de trabalho, você pode querer usar algumas dessas palavras-chave.

Em segundo lugar, você pode usá-los em sua carta de apresentação. No corpo de sua carta, você pode mencionar uma ou duas dessas habilidades e dar um exemplo específico de quando demonstrou essas habilidades no trabalho.

Finalmente, você pode usar essas palavras de habilidade em sua entrevista. Naturalmente, cada trabalho exigirá diferentes habilidades e experiências, por isso, leia atentamente a descrição do trabalho e concentre-se nas habilidades listadas pelo empregador.

Pensamento Criativo: Os empreendedores são conhecidos por pensar fora da caixa. Qualquer um pode iniciar um negócio on-line ou uma loja; É preciso que Jeff Bezos conceba a Amazon.com e expanda um negócio de venda de livros on-line para usar drones, streaming de mídia e fornecer praticamente qualquer item sob o sol. O pensamento criativo pode levar um empresário inteligente e capaz a outro nível de sucesso. Em cartas de apresentação e entrevistas, enfatize essa habilidade para mostrar aos possíveis empregadores que você vê conexões e possibilidades em que outros não.

Liderança: Empreendedores geralmente têm uma qualidade evangelística. Eles têm ótimas idéias e são habilidosos em conseguir o buy-in de investidores e funcionários.


Mostra fotográfica da UFRJ aborda superações de alunos até a conquista do diploma

Uma mostra fotográfica retrata a realidade de 57 pessoas que estudam na UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Como maneira de ocasionar a valorização da instituição de ensino, a exposição foi idealizada pela ADUFRJ e foi batizada de UFRJSEMPRE. Nas fotografias ocorre a exibição de estudantes que foram os primeiros de suas famílias a conseguirem ingressar no ensino superior.

O principal registro fotográfico ocorreu em uma parte bastante conhecida pelos alunos que frequentam o campus do Fundão. Na imagem é possível perceber que se trata da fachada do restaurante presente no local. Vale salientar que a foto foi tirada em 27 de novembro de 2018.

Segundo uma matéria veiculada pelo Portal de Notícias Terra, os relatos sobre a trajetória de cada estudante foi um momento bastante emocionante, tratando-se de histórias em que os alunos precisaram superar diversas circunstâncias difíceis para que pudessem alcançar seus objetivos. Algumas das pessoas entrevistadas relataram viver em meio a tiroteios, mas ressaltaram que os colegas prestam grande apoio a elas.

Para Thamara Perrone, uma das estudantes que compõem a foto, estudar na UFRJ é uma conquista que transcende seus anseios pessoais, uma vez que é motivo de felicidade também para toda a sua família. Assim como ela, outros jovens de origem humilde foram chamados para participarem da mostra fotográfica.

Já Felipe Carvalho da Conceição, estudante do curso de Química da UFRJ sente-se animado com o fato de pessoas carentes terem conseguido ingressar na instituição. Ele salienta que a universidade deve estar aberta para o ingresso de alunos de todas as classes sociais, algo que acredita estar acontecendo recentemente.

Além de alunos, alguns professores também fizeram questão de participar da ocasião. A maioria dos docentes, contudo, trilharam caminhos bastante semelhantes aos dos estudantes em questão, de modo que também passaram por dificuldades de ordem financeira.

A mostra UFJSEMPRE está disposta em todos os câmpus da instituição. Além das dependências da universidade, as fotografias serão exibidas e m toda a cidade do Rio de janeiro. Mesmo ainda no início, a organização da exposição já cogita a realização de outra exibição, desta vez contando exclusivamente com professores do local.

 

Saiba mais:

https://www.jb.com.br/rio/2018/11/961360–elessaoosprimeiros–fotografia-retrata-brasileiros-que-transformam-sonhos-em-futuro.html


O que são empreendimentos sociais?

Os empreendimentos sociais são movimentos cada vez mais populares que provocam mudanças sociais, culturais e ambientais. Ao incorporar habilidades e técnicas de negócios, indivíduos e empresas são capazes de fornecer soluções inovadoras para problemas sociais persistentes que ainda precisam ser abordados por outros métodos. Com a mensagem de “impacto primeiro” em sua essência, os empreendimentos sociais visam tornar um impacto social financeiramente viável, embora sua finalidade vá muito além de ganhar dinheiro.

Três características, que separam empreendimentos sociais de um negócio tradicional são as seguintes: Eles têm um impacto positivo na sociedade. Eles vendem um serviço ou produto que lhes permite causar um impacto social.

Eles são financeiramente auto-sustentáveis ​​e não dependem de doações.

Por que o empreendimento social está em ascensão. Há muitas razões pelas quais as empresas que utilizam técnicas de empreendimento social continuam a florescer, mas é fácil ver que os desafios globais, como a diminuição dos recursos naturais, o rápido crescimento populacional, a extrema pobreza e os efeitos negativos das mudanças climáticas têm impulsionado muitos líderes empresariais e inovadores para a ação.

Os empreendimentos sociais funcionam porque as pessoas são atraídas para gerar histórias e as razões pelas quais as pessoas fazem o que fazem.

Quando as pessoas ouvem que alguém criou uma empresa para ajudar as pessoas ou o meio ambiente, elas estão mais ansiosas para fazer parte de sua história, para consumir seu produto e, à sua maneira, contribuir para um benefício duradouro para a sociedade.

A maneira como as empresas medem o sucesso mudou. O triple bottom line exige que as organizações preparem três linhas de base diferentes, que incluem lucro corporativo, responsabilidade social e responsabilidade ambiental. Além de prosperar em mercados competitivos e lucrar financeiramente, as empresas estão incluindo seu impacto social e ambiental em seu custo total de fazer negócios. Os empreendimentos sociais permitem que as empresas se tornem mais responsáveis ​​socialmente, o que pode resultar na promoção de uma imagem de marca positiva e maior fidelidade do cliente.

Até 2025, quase três quartos dos trabalhadores em todo o mundo serão da geração do milênio. Esse enorme influxo para a força de trabalho já está mudando a forma como os negócios são conduzidos.


Cachorros podem ser treinados para identificar a malaria antes dos sintomas

Malária é uma doença parasitária causada pelo mosquito. Em casos brandos, ela causa fadiga, dor de cabeça e vômitos. Em quadros mais severos, pode deixar uma pessoa em coma e levar a óbito. É de extrema importância diagnosticar a doença antes dos sintomas surgirem. Isso sempre foi um dos grandes desafios dos médicos e cientistas. A novidade é a descoberta de um método de identificação bem diferente. Cachorros podem ser treinados para detectar indivíduos infectados.

De acordo com os cientistas, chefiados por Steve Lindsay, do Departamento de Biociências da instituição, cães farejadores foram capazes de descobrir a infecção parasitária cheirando vestimenta de crianças, principalmente meias. Os pesquisadores destacaram que o mais importante é o fato do diagnóstico ser rápido e não invasivo. Algo inédito no processo de detecção da malária.

Steven Lindsay explicou que essas descobertas ainda estão em fases de testes e logo serão divulgado mais notícias. No entanto ele afirmou sobre a precisão e confiabilidade dos cachorros nesse trabalho. No dia 29/10/2018, no Encontro Anual da Sociedade Americana de Medicina Tropical e Higiene em Nova Orleans, nos Estados Unidos, Lindsay apontou os diversos benefícios que isso pode trazer. Destacou que esse método fácil e rápido pode evitar que países que se declararam livres da doença voltem a sofrer com ela. Pois, os animais podem identificar a infecção em pessoas que não sabem que possuem.

Os materiais para os cães farejarem foram coletados na África, em 175 crianças, de aparência saudável, de 4 a 14 anos. Os três cães, no Reino unido, identificaram que aproximadamente 17% das crianças possuíam a infecção. A equipe de cachorros foi composta por um golden retrivier, um springel spanel e um labrador. O índice de acerto foi de 90%. James Logan, chefe do Departamento de Controle de Doenças, Reino Unido, e coautor do estudo, disse que eles conseguiram demonstrar que cães conseguem identificar quadros infecciosos através do odor corporal das pessoas.

Os cientistas responsáveis pelo projeto acreditam na utilidade dos cachorros nos locais de entrada, como portos de navio e outros pontos. De forma bastante semelhante como os cães já são usados para detectar alimentos, armas, explosivos e drogas.


Estudo revela que é preciso inovar para manter empresas em competição

Um novo estudo apontou dados sobre os desafios enfrentados pelas empresas no Brasil. De acordo com o estudo, a inovação está entre as principais necessidades estratégicas para que as empresas se mantenham competitivas.

O estudo revelou que 56% dos empreendedores que foram entrevistados e que já tinha experiência com o corporate venture, relataram que tiveram resultado positivo ao utilizar esse tipo de abordagem. O levantamento que foi chamado de “Corporate Venture: desafios e oportunidades no Brasil” foi realizado pela Endeavor, EY-Parthenon e a Cátedra Insper-Endeavor.

A realização do estudo ocorreu por meio da participação de 300 empreendedores brasileiros, onde 46% desse total revelou que a aceleração e/ou incubação está entre os formatos mais utilizados entre as iniciativas de colaboração.

De acordo com os dados levantados pela pesquisa, as grandes empresas responsáveis por oferecer iniciativas que geram engajamento, são as que buscam cada vez mais o conceito de mindset empreendedor. Além disso, essas empresas também se destacam em relação ao retorno financeiro sustentável, ativação de seus negócios e até mesmo na atração de novos profissionais. A pesquisa ainda revelou que as empresas que mais oferecem engajamento são as que mais apresentam vantagens competitivas. Essas empresas também apresentam maior redução de vulnerabilidade em relação as outras empresas.

Os dados da pesquisa ainda apontaram que houve um aumento mundial em relação ao número de transações realizadas no conceito corporate venture. De acordo com os dados, o total de transações realizadas neste conceito em 2017 foram quase 4 vezes maior do que o total em 2009. No ano passado, os investimentos ultrapassaram os US$ 31 bilhões de negócios realizados no corporate venture. Todos esses dados enfatizam ainda mais a busca por parcerias entre empreendedores e as vantagens que essas estratégias oferecem para as empresas.

Mesmo com esse potencial maior em gerar vários benefícios para os empreendedores e empresas, o corporate venture apresentou um enorme ruído em várias parcerias realizadas aqui no Brasil. Esse ruído pode ser observado em várias notícias que abordam esse tema, onde é possível observar estruturas de arranjos instáveis e frágeis. Nesses casos, o resultado mais comum do corporate venture é uma falha na parceria. Além disso, as iniciativas de engajamento por vezes terminam de forma precoce entre os empreendedores que não estabelecem bons vínculos.


Veneno do bem pode se tornar a cura das feridas

Um grupo de pesquisadores do Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos (CEVAP), situado em Botucatu, SP, conquistou mais um importante passo para dar seguimento a uma pesquisa histórica de quase 30 anos, com o apoio de R$ 11 milhões de reais do Ministério da Saúde. Agora, vai ser possível colocar em prática o potencial terapêutico de uma substância existente no veneno das serpentes, a trombina, bastante eficaz em processos difíceis de cicatrização.

Para um dos médicos responsáveis pelo estudo, o doutor Benedito Barraviera, este novo investimento será um grande avanço após anos trabalhando para isolar e extrair a trombina, uma proteína localizada no veneno das serpentes que, ao entrar em contato com o fibrinogênio (outra proteína existente no sangue), ativa uma transformação molecular, surgindo então a fibrina, uma proteína fibrosa, capaz de produzir um tipo de selante, uma cola, muito eficaz em processos complicados de cicatrização.

Para exemplificar este avanço, a dentista Vera Alfredo utilizou o selante para tratar uma úlcera (ferida aberta) na canela direita. Foram realizadas 16 cirurgias e mais de 17 mil curativos, porém, tudo mudou quando Vera se voluntariou para um tratamento experimental de feridas crônicas usando o selante. E o resultado foi fantástico para Vera, que após 15 meses da cicatrização total, conseguiu voltar a usar bermuda depois de quase 50 anos.

Observa-se, então, que úlceras como a da Vera dificilmente fechariam com os cremes ou pomadas disponíveis no mercado atual, ao contrário do selante de fibrina, que produz uma camada de fibras biológicas sobre a ferida, como se fosse uma malha. E para aprimorar esta técnica, é preciso investir numa matéria-prima essencial para a produção do selante, o fibrinogênio. Atualmente, a proteína é extraída do plasma sanguíneo de búfalo.

Por fim, destaca-se a importância da iniciativa privada também contribuir oara o experimento, e não apenas depender de ações governamentais. Com isso, os impulsos financeiros são extremamente relevantes para a pesquisa e conseguem ajudar outras pessoas que nem a dentista Vera Alfredo.

Para saber mais notícias sobre o selante de fibrina e seus benefícios, clique aqui e confira a reportagem da CEVAP.


BNDES e ABDI vão lançar editais para startups

Boas notícias para empreendedores de todo o país que tenham uma ideia escalável. O BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e a ABDI – Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial vão lançar editais para o fomento de projetos de startups. Confira um pouco mais do que está por vir.

BNDES

O BNDES por meio da iniciativa BNDES Garagem lança edital que visa o desenvolvimento de 60 projetos de startups. A iniciativa prevê a seleção de 30 projetos em estágio inicial que vão passar pelo processo de desenvolvimento de um negócio sustentável e escalável e mais 30 empresas já consolidadas e com faturamento de até R$ 16 milhões para serem aceleradas.

Durante o festival Rec’n’Play, Fabiano Mattos, que está a frente da área de tecnologia do BNDES Garagem, a prioridade serão os projetos nos setores da educação, saúde, economia, segurança, soluções financeiras (fintechs), blockchain, economia criativa e internet das coisas (IOT).

Os interessados devem se manter atentos, pois o edital será lançado no site do BNDES até o fim de novembro e as inscrições estarão abertas a partir de 6 de dezembro.

ABDI

A ABDI, por sua vez, deve lançar ainda este mês o edital para o Startup Indústria 4.0, programa de investimento da entidade para fomento de novos projetos. O edital para o novo ciclo tem início provável em 29 de novembro. Trata-se de uma iniciativa luso-brasileira que vai selecionar 150 startups brasileiras e portuguesas.

Das 150 selecionadas, 60 serão escolhidas, sendo que apenas 10% serão de Portugal para receber um aporte financeiro de R$ 80 mil cada.

As startups também serão beneficiadas com novos negócios e iniciativas entre outras companhias da indústria. Serão selecionadas 30 indústrias de grande porte, sendo três portuguesas para participar da iniciativa. Podem participar companhias que tem como foco a criação e desenvolvimento de soluções focadas em tecnologias para a indústria 4.0.

O programa, que está em sua segunda edição, será estendido até junho de 2020. A ABDI realizou sua primeira edição em 2017 chamada Startup Indústria, contudo era voltada apenas para startups brasileiras. Esta é a primeira vez que empresas de outro país participarão da iniciativa.


Trabalhos voluntários poderão ser adotados como parte da carga horária do ensino médio

As instituições de ensino poderão aceitar as horas de trabalhos voluntários realizados por seus estudantes como meio de completarem as cargas horárias das séries do ensino médio. A novidade foi divulgada após a aprovação de um pacote com novas diretrizes curriculares, que foi aprovado pelo CNE (Conselho Nacional de Educação).

Conforme a redação dada às diretrizes em questão, além de serviços voluntários, também poderão ser aceitas outras atividades realizadas pelos alunos. Isso, entretanto, estará condicionado ao fato de tais ações envolverem algum caráter de ordem pedagógica. Dessa maneira, estágios, cursos, pesquisas de campos e iniciação científica passarão a contar como horas estudadas.

Aprovada no ano de 2017, a lei que dispõe sobre os novos ditames do ensino médio tornou claro que essa fase da educação deverá ser composta por um total de 5 horas diárias. Até o ano de 2022, espera-se que a carga horária de todo o período seja de 3 mil horas. Desse total, 1,8 mil horas serão de ensino comum a todos os alunos em território nacional.

O restante da carga horária, conforme estabelecem as novas diretrizes, poderá ser escolhido pelo próprio aluno. Assim sendo, este deverá optar pelas áreas de tecnologia, humanidades, ciências naturais, linguagens ou matemática.

As formas como esses trabalhos voluntários serão realizados poderão ser tanto presenciais, quando o aluno frequenta um ambiente convencional ou à distância. Em todos os casos, é necessário que haja a orientação e supervisão de um professor para que haja validação das horas de atividades. O emprego da tecnologia, de acordo com notícias sobre as novas regras, não é descartado.

Nas novas diretrizes constam outras mudanças. Uma das mais expressivas é a que autoriza o estabelecimento de convênios entre algumas instituições de ensino. É importante salientar que estas devem fazer parte de um cadastro específico elaborado pelo sistema de ensino nacional.

As escolas poderão, conforme as diretrizes de ensino, escolher de que maneiras irão avaliar cada uma das atividades permitidas a partir de então. Com isso, até mesmo atividades em instituições estrangeiras passarão a contar para que se complete a carga horária necessária à formação no ensino médio em todo país.

Saiba mais:

https://istoe.com.br/escolas-poderao-considerar-trabalhos-voluntarios-feitos-por-estudantes/


Google Glass possibilita crianças com autismo a aprender expressões faciais

As crianças que têm autismo, muitas vezes lutam para saber o que os outros estão pensando ou sentindo. Entender as expressões faciais pode ser complicado para essas crianças. Esse sorriso é um genuíno sorriso de felicidade ou uma expressão tensa de desconforto? Aquela testa enrugada significa raiva ou apenas concentração?

Quando você não consegue entender as mensagens no rosto de outras pessoas, é difícil envolver-se socialmente. As crianças com autismo são frequentemente deixadas de fora das interações de grupos sociais humanos, um fato considerado crítico para o desenvolvimento dessas crianças.

Crianças com autismo variam significativamente em suas características. Algumas podem falar e se expressar, enquanto outras não conseguem devido ao grau de autismo. Muitas delas são sensíveis a ruídos e sons que passam despercebidos pelas pessoas comuns. Algumas têm dificuldades em manter contato visual e experimentam o mundo de forma diferente, então passam a tocar em objetos para explorar a sensação de textura.

Agora, os pesquisadores dizem que têm uma nova ajuda para crianças com autismo, o Google Glass. Eles combinaram os óculos de alta tecnologia com um aplicativo para identificar rostos e expressões, o que mostra à criança um emoji da expressão correta.

As notícias são de que o “Superpower Glass” pode ajudar as crianças que estão à espera de tratamento.

“As crianças com autismo lutam unanimemente para se envolver no nosso mundo social”, diz o líder da pesquisa, Dennis Wall, professor da Escola de Medicina da Universidade de Stanford, na Califórnia. “Eles não fazem contato com o rosto, e eles não entendem as diferenças emocionais de pessoas comuns”, diz o pesquisador.

Trabalhar de frente com um terapeuta é útil para muitas crianças com autismo. O problema é que há muitas crianças com autismo e poucos profissionais treinados que oferecem esse tipo de terapia, deixando muitas crianças em listas de espera. Quanto mais cedo a terapia, mais bem-sucedida serão as respostas da criança. No entanto, muitas crianças não fazem terapia por causa de listas de espera ou falta de recursos financeiros. Algumas dessas crianças nem são diagnosticados até uma idade mais avançada.

Wall espera que a nova tecnologia possa ajudar a preencher a lacuna entre o diagnóstico e o início do tratamento.