Cidade de São Paulo é contemplada por expansão de grupo hoteleiro de Guilherme Paulus

A capital paulista é conhecida, dentre outras coisas, por abrigar diversos empreendimentos hoteleiros de grande porte. De acordo com Guilherme Paulus, o município poderá ganhar mais um hotel de luxo. Desta vez, o empreendedor construirá a unidade hoteleira em uma região da Avenida Cidade Jardim. Uma matéria veiculada pelo Portal Terra traz a expectativa de que o estabelecimento comece a operar já no começo de 2021.

O local terá as estruturas próprias de um hotel, totalizando mais de 60 apartamentos que serão disponibilizados para compra ou locação. Até o momento já se sabe que a unidade hoteleira será um empreendimento considerado de luxo, mas ainda não houve conclusão acerca de qual bandeira irá classificar o local. Na área construída espaços para eventos poderão ser desfrutados pelos moradores, bem como rooftop e restaurantes. Desse modo, a reportagem apurou que Guilherme Paulus tem o anseio de criar uma nova marca para seus últimos negócios no ramo da hotelaria.

Diversos são os meios em que o empresário tem atuado nos últimos tempos. Em relação às atividades realizadas por seu grupo, o GJP, estas não se limitam à construção de hotéis, visto que também consistem na administração dos empreendimentos que são construídos. Quando ainda dava seus primeiros passos no segmento da hotelaria, a corporação era dona de um único hotel. Na atualidade, entretanto, a rede conta com 14 unidades no país. Guilherme Paulus, por sua vez, não deseja parar por aí, pois pretende também empreender na cidade do Rio de Janeiro.

A presença do empresário no segmento turístico ocorreu após a inauguração da operadora CVC, que ocorreu na região do ABC Paulista, nos anos 1970. A expansão da empresa turística de Guilherme Paulus se deu após um longo período de tempo, chamando a atenção de empresas estrangeiras, como a que acabou comprando a companhia brasileira após negociações diretas com o empreendedor.

A corporação que adquiriu a CVC em 2009 foi a Carlyle Group. Apesar da compra pelo grupo em questão, o empresário brasileiro foi convidado a continuar integrando o quadro de executivos da operadora. Assim sendo, ele deixou suas incumbências anteriores para se tornar responsável por presidir o Conselho de Administração dos negócios. Muitas transformações foram observadas na operadora a partir de então, principalmente em relação à maneira como se lidou com o capital aplicado na Bolsa de Valores, passando a se tornar aberto aos investidores interessados.

A operadora CVC Turismo tem, segundo a reportagem em questão, seguido um plano de crescimento que considera o período de cada ano para tal. Com isso, a companhia tem a expectativa de crescer cerca de 2 dígitos por ano. Além disso, planeja-se instalar 100 novos empreendimentos turísticos em diversos municípios brasileiros, o que pode proporcionar lucros de até R$ 5 bilhões.

Para a CVC também se espera que esta conte com filiais em alguns supermercados conveniados com a operadora. Já em relação às outras formas de atuação do empresário, estas já transitaram por segmentos variados, como o da aviação, na época em que realizou transações de venda de uma companhia aérea.


Artigo Sobre Felipe Montoro Jens

Nem sempre é fácil fazer um negócio crescer e financiamentos com bancos privados não são tão simples ou viáveis em todos os casos. Pensando nisso, as PPPs (Parcerias Público-Privadas) se tornaram uma alternativa para acelerar a economia do país, inclusive para atender demandas públicas com serviços essenciais.

 

De acordo com o especialista em projetos de infraestrutura, Felipe Montoro Jens, as Parcerias Público-Privadas são a solução para o investimento de recursos em diferentes ramos do mercado. A Lei Federal 11.079/04 é a responsável por regulamentar as normas para se obter uma parceria entre empresa privada e banco ou empresa pública.

 

Felipe Montoro Jens garante que desde que a lei foi sancionada notou que as PPPs foram capazes de reduzir o déficit de infraestrutura no Brasil, através seus investimentos, o que inclui os setores de transporte e saneamento básico.

 

Felipe Montoro Jens ainda saliente que não são apenas esses setores que estão crescendo e ampliando seu atendimento ao público graças as parcerias público-privadas. As áreas de desenvolvimento urbano, saúde e educação também possuem papel essencial como beneficiadas pelas PPPs.

 

Apesar do crescimento das PPPs, o especialista Felipe Montoro Jens explica que ainda há muita resistência com as mesmas, devido às regras pressupostas para a existência das parcerias e cláusulas contratuais bem burocráticas em suas obrigações. A rigidez na consumação da parceria é necessária, uma vez que o vínculo de pagamento do investimento recebido pode durar muitos anos e é preciso existir uma garantia de recebimento.

Felipe Montoro Jens reporta estudo da CNI sobre obras paradas no Brasil

A isenção de impostos para o setor privado seria um grande chamariz para que mais parcerias fossem concretizadas no futuro, de acordo com análise feita pelo especialista Felipe Montoro Jens. O ideal é que os objetivos do setor público, privado e da sociedade possam estar equilibrados, a fim de tornar a parceria mais viável e garantir seu sucesso.