Flavio Maluf reporta sobre o uso de drones por produtores rurais

 

Hoje em dia, praticamente todo mundo, dentre os que estão “antenado” nas tecnologias, já ouviu falar ou até já teve contato direto com drones, inclusive Flavio Maluf, atual presidente do Grupo Eucatex. E é ele que nos reporta como vêm popularizando-, há alguns anos já, esses drones, a tal ponto de, em maio deste ano, chegar a ser regulamentada essa tecnologia, por parte da Agência Nacional de Aviação Civil.

Segundo Flavio Maluf, para se ter uma ideia da expansividade dos drones, em todo o mundo, podemos citar, por exemplo, os dados da consultoria americana Gartner, segundo os quais, até o ano de 2020, o número de dispositivos que serão vendidos, anualmente e considerando todo o mundo, chegará à impressionante quantia de 3 milhões. Nessa faixa, supõe-se, a tecnologia em questão propiciará um faturamento anual beirando o montante de 11,2 bilhões de dólares.

Todavia, apesar desse crescimento em escala global, fato é que, desse total, ainda 89% de seu uso tem destinado-se ao meio militar. Dos 11% restantes, o uso dos drones divide-se entre várias áreas, como a de inspeção industrial ou a de monitoramento de eventos, fora a de fotografia ou a de transporte. Mas, além dessas todas, Flavio Maluf, que tem formação em engenharia mecânica pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), lembra do quão relevante vem sendo tal tecnologia para o agronegócio. Afinal de contas, o Grupo Eucatex vem, desde 1951, pensando tanto em conforto ambiental quanto em conforto acústico, através da adoção, como matéria-prima, da madeira de eucalipto, na produção seja de chapas seja de painéis.

E os drones, onde eles entram nisso? Bem, eles facilitam muito a vida dos produtores ruarais, como lembra Flavio Maluf, visto que podem contribuir com o controle de custos de toda a propriedade. Exemplificando isso, podemos falar do combate a pragas e ervas daninhas, costumeiramente tratado com defensivos, que então, com os drones, torna-se possível um monitoramento tamanho, a ponto de se conseguir identificar, com grande precisão, aquele que foi a área verdadeiramente atingida. Flavio Maluf, por fim, ainda lembra uma colocação, sobre o uso dessa tecnologia no ambiente rural, feita por Fabrício Hertz, atual presidente da Horus, que é uma empresa envolvida com a produção de drones e também com mapeamento através desses: Segundo Hertz, a adoção de drones, por parte do produtor rural, no contexto que já especificamos, “representará uma economia de até 80% nos gastos com esse tipo de agroquímico”.