Artigo Sobre Felipe Montoro Jens

Nem sempre é fácil fazer um negócio crescer e financiamentos com bancos privados não são tão simples ou viáveis em todos os casos. Pensando nisso, as PPPs (Parcerias Público-Privadas) se tornaram uma alternativa para acelerar a economia do país, inclusive para atender demandas públicas com serviços essenciais.

 

De acordo com o especialista em projetos de infraestrutura, Felipe Montoro Jens, as Parcerias Público-Privadas são a solução para o investimento de recursos em diferentes ramos do mercado. A Lei Federal 11.079/04 é a responsável por regulamentar as normas para se obter uma parceria entre empresa privada e banco ou empresa pública.

 

Felipe Montoro Jens garante que desde que a lei foi sancionada notou que as PPPs foram capazes de reduzir o déficit de infraestrutura no Brasil, através seus investimentos, o que inclui os setores de transporte e saneamento básico.

 

Felipe Montoro Jens ainda saliente que não são apenas esses setores que estão crescendo e ampliando seu atendimento ao público graças as parcerias público-privadas. As áreas de desenvolvimento urbano, saúde e educação também possuem papel essencial como beneficiadas pelas PPPs.

 

Apesar do crescimento das PPPs, o especialista Felipe Montoro Jens explica que ainda há muita resistência com as mesmas, devido às regras pressupostas para a existência das parcerias e cláusulas contratuais bem burocráticas em suas obrigações. A rigidez na consumação da parceria é necessária, uma vez que o vínculo de pagamento do investimento recebido pode durar muitos anos e é preciso existir uma garantia de recebimento.

Felipe Montoro Jens reporta estudo da CNI sobre obras paradas no Brasil

A isenção de impostos para o setor privado seria um grande chamariz para que mais parcerias fossem concretizadas no futuro, de acordo com análise feita pelo especialista Felipe Montoro Jens. O ideal é que os objetivos do setor público, privado e da sociedade possam estar equilibrados, a fim de tornar a parceria mais viável e garantir seu sucesso.