Anvisa pede recall de lotes de vegetais congelados após identificar contaminação

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou em novas notícias que uma série de lotes relacionados a vegetais congelados que vieram da Europa foram suspensos por estarem contaminados com a bactéria “Listeria monocytogenes”. De acordo com a agência, a contaminação foi o motivo da decisão que foi publicada através do Diário Oficial.

A agência ainda informou que os lotes suspensos são de mais de uma empresa, sendo elas: Greenyard, Pratigel, Grano e Pinguin. Segundo a agência, as empresas responsáveis por esses lotes contaminados deverão realizar o recall de todos os produtos entregues no Brasil de acordo com os lotes que foram suspensos.

Embora a Anvisa tenha sido responsável por tomar a decisão da suspensão dos lotes das quatro empresas, essa decisão só foi tomada por causa de uma notificação enviada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) por meio da “International Network of Food Safety Authorities“. O órgão responsável pela notificação informou a Anvisa de que havia 47 casos de doenças identificadas em decorrência dos lotes distribuídos, tendo ocorrido em cinco países diferentes da Europa e na Austrália.

De acordo com o órgão, essa comprovação ocorreu por meio de um sequenciamento de genoma, onde foi possível descobrir a origem da contaminação. Nesse caso, os resultados dos testes apontaram a origem de toda a contaminação para uma fábrica localizada na Hungria. Dentro dessa fábrica, os avaliadores identificaram a bactéria e puderam rastrear os lotes de vegetais congelados contaminados.

O órgão da OMS informou a Anvisa que a fábrica na Hungria distribuiu os lotes congelados para quatro empresas diferentes, que espalharam o produto para várias regiões do mundo. As análises laboratoriais apontaram que essa contaminação está presente nos lotes fabricantes desde o mês de agosto de 2016 até o final do mês de junho deste ano. Ou seja, a contaminação ocorreu nos últimos 22 meses de produção da fábrica.

Sendo assim, o recall foi ordenado para que as empresas realizassem todo o processo de retirada desses produtos do mercado. A medida tomada pela Anvisa e outros órgãos em todo o mundo, foi de um recall às empresas, como a finalidade de prevenir que a população não tenha a saúde afetada pela bactéria identificada.