Pesquisa revela que surfistas correm mais risco de adquirir super-bactérias

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Exeter, localizada no Reino Unido, revelou que os surfistas possuem até três vezes mais chances de hospedarem bactérias super-resistentes aos antibióticos do que qualquer outra pessoa. Os resultados do estudo mostram que os atletas praticantes de surfe ficam mais expostos ao contágio de bactérias super-resistentes.

Outros estudos já apontaram que os atletas desse esporte engolem até dez vezes mais a água do mar do que qualquer outra pessoa que nada habitualmente. Isso porque os surfistas caem constantemente da prancha, momento em que acabam engolindo água do mar.

Sabendo desse fato, os pesquisadores resolveram analisar algo bastante importante: se os surfistas são mais vulneráveis ao desenvolvimento dessas bactérias difíceis de serem eliminadas e que estão presentes nas águas.

Para tirar essa dúvida, os pesquisadores precisaram analisar as fezes de um total de 143 surfistas e comparar com outras 130 fezes de pessoas que nadam frequentemente em um único local, na costa do Reino Unido. Ao analisar as fezes, os pesquisadores tentaram descobrir se os surfistas, assim como banhistas, possuíam a bactéria chamada de E. coli no estômago. Essa bactéria é difícil de ser eliminada, sendo resistente até mesmo ao cefataxima, um dos antibióticos mais comumente usados nos hospitais.

O estudo que foi publicado pela revista Enviroment International revelou que do total dos surfistas, 9% deles continham a superbactérias contra 3% do total de nadadores. A conclusão do estudo é de que a bactéria E. Coli continuaria nos estômagos daqueles que constataram a presença dela mesmo que fossem submetidos a tratamento com antibiótico.

Na opinião de Anne Leonard, que é a coordenadora do estudo, esses atletas são “geralmente jovens, estão em forma e se sentem saudáveis, é pouco provável que se preocupem com sua saúde”. No caso da água contaminada, a cientistas avaliam que as bactérias são carregadas através da chuva que leva resíduos de esgoto e da produção de fazendas para o mar.

A pesquisadora aconselha que os surfistas podem evitar a ingestão das superbactérias caso venham a descansar por dois dias fora das águas, ou ainda evitar entrar no mar depois de um dia chuvoso.