Exame capaz de detectar oito tipos de câncer é desenvolvido por pesquisadores

Detectar um câncer precocemente aumenta as chances de cura e é um dos maiores desafios enfrentados pela oncologia. Um grupo internacional de pesquisadores desenvolveu uma maneira de identificar oito tipos de câncer através de exames de sangue. A edição da revista Science apresentou a tecnologia que faz uso minucioso através da análise genética, que ainda precisa de testes. O método poderá ser uma alternativa mais prática para diagnosticar a doença.

“A identificação precoce do cancro é algo fundamental para diminuir a mortalidade, pois os tumores são tratados mais facilmente antes de virar metástase”, disse o professor de oncologia e patologia do Centro de Câncer Johns Hopkins e um dos principais autor do estudo, Nickolas Papapdopoulos.

O exame desenvolvido pelos pesquisadores tem como principal foco oito tipos de tumores mais comuns, sendo de ovário, mama, pulmão, estômago, fígado, pâncreas, colorretal e esôfago.

Uma das motivações da equipe foi desenvolver uma alternativa de diagnóstico menos invasiva ao paciente, pois as tecnologias utilizadas atualmente usam procedimentos mais complexos.

Cientistas italianos e australianos colaboraram no desenvolvimento do método, que se chama CancerSEEK que significa uma análise no qual se verifica a presença de 16 genes de câncer e 10 níveis de proteínas circulantes e sinais biológicos de cancro nas amostras sanguíneas.

Os testes foram realizados com 1.005 pacientes com diagnóstico de tumores em fase pré-metastática, e em 850 pessoas saudáveis.

O exame identificou tumores com sensibilidade de 69% a 98% variando do tipo da doença, e em algumas ocasiões disponibilizou informações sobre o tecido do câncer, uma informação dificilmente encontrada em testes atuais.

Os pesquisadores acreditam que essa é uma ferramenta que poderá ser utilizada na análise de outros tumores também. Papadopoulos destaca que a sensibilidade do teste para outros cancros precisa de uma avaliação em futuros estudos. “Nossa pesquisa estabelece um fundamento conceitual de praticidade dos exames de sangue único e de análise múltipla, porém para estabelecer a utilidade clínica do CancerSEEK e demonstrar que ele salva as pessoas, será preciso estudos prospectivos de todos os tipos de tumor em uma grande parte da população. Será preciso estudos maiores para a exploração mais específica, com sensibilidade e refinamento do teste” defende ele.