Tratamento contra refluxo que fortalece o esôfago é testado no Brasil

O Brasil pode se tornar um aliado no tratamento, considerado inédito, de refluxo que dispensa cirurgia ou o uso de medicamentos. O Sistema Stretta, existente em mais de quarenta países, foi utilizado pela primeira vez no mês de setembro de 2017 na Faculdade de Medicina do ABC. O tratamento trás o fortalecimento dos músculos do esôfago, que quando está distendido, faz com que o suco gástrico suba até o estômago e atinja os órgãos, causando dores, azia e incomodo.

O refluxo é uma doença digestiva que faz com que os ácidos que ficam dentro do estômago retorne ao esôfago em vez de seguirem seu fluxo de digestão normal.

O gastrocirurgião e coordenador do serviço de endoscopia da faculdade, Eduardo Grecco, disse que os resultados em pacientes fora do país foram positivos, agora precisa ser analisado se ele funcionará em pacientes do Brasil, destacando que: “É um tratamento rápido, realizado em uma sessão única de 30 minutos. O paciente acorda normalmente, recebe orientações para a dieta e vai embora pra casa. Após isso ele recebe acompanhamento médico que dura de 4 a 6 semanas com uso de medicação que ele utiliza e depois a medicação é suspensa”.

No caso da cirurgia, a eficácia dos casos chegam a 70% e varia entre 5 a 7 anos em 30% dos casos que são realizados a cirurgia. O processo cirúrgico também envolve desconfortos, pois tem o corte, a anestesia geral e o paciente precisa ficar 10 dias com uma alimentação restrita. “Com o Stretta, ele sente uma leve dor e desconforto, porém já volta a uma alimentação normal a partir do 3º dia”, disse Grecco. Ele também destacou: “Quanto menos invasiva, mais rápida a recuperação e os riscos de infecção e efeitos colaterais são menores”.

O primeiro paciente brasileiro a ser testado com o Stretta, tinha 25 anos de idade e sentia os sintomas de refluxo desde que tinha 15 anos. Grecco afirma que o tratamento necessita da ajuda do paciente, em relação a erros alimentares. Eduardo diz que o método melhora a capacidade do esôfago para o refluxo, porém o paciente não se livra sempre do refluxo, precisa ter cuidado na alimentação exagerada que pode fazer ele voltar com quadros agudos.