Segundo um estudo britânico, uma ótima arma contra a gripe é sorriso

Resultado de imagem para gripe é sorriso

Um estudo realizado na Inglaterra sobre o potencial do sorriso na saúde das pessoas, revelou que uma pessoa de bom humor tem um sistema imunológico melhor. O estudo aponta para o sorriso como forma de promover uma boa saúde, sendo uma arma eficiente no combate à gripe.

O estudo desenvolvido pela Universidade de Nottingham mostrou que, no dia em que pessoas foram vacinadas contra a gripe, as que estavam de bom humor demonstraram um desenvolvimento maior de anticorpos devido ao seu estado emocional positivo. Os pesquisadores responsáveis por esse estudo, dizem que para esses efeitos serem comprovados, a pessoa deverá estar feliz durante todo o dia em que recebeu a vacina, e não somente sorrir na hora em que receber a vacina.

Anteriormente a esse estudo, os mesmos pesquisadores já haviam avaliado os danos referentes a emoções negativas no organismo humano. O fato de uma pessoa estar magoada, chateada com algo, triste com o mundo ao seu redor ou com uma depressão, irá aumentar de modo significativo os riscos de hipertensão arterial e outras doenças cardíacas. Doenças originadas do sistema nervoso são mais frequentes, como uma úlcera nervosa, doenças na pele e até mesmo um câncer pode estar relacionado.

Os hábitos de vidas das pessoas analisadas no estudo sobre o sorriso, não foram levados em questão. Segundo os realizadores do estudo, evidências apontam para o fato de que o pensamento e as atitudes positivas tendem a aumentar a qualidade de vida das pessoas.

Segundo a líder da pesquisa, Kavita Vedhara, professora de psicologia da saúde da Universidade de Nottingham, os malefícios do estresse no sistema imunológico podem ser observados no dia da vacinação, afetando de forma negativa as defesas do sistema imunológico. “Descobrimos que eles ficaram piores do que o normal quando receberam vacinas contra a gripe, produzindo menos anticorpos contra o vírus”, diz a psicóloga.

O objetivo das observações eram determinar um fator que poderia impulsionar a eficácia do sistema imunológico.

“Esperávamos encontrar vários fatores capazes de melhorar a resposta dos anticorpos humanos à vacinação. Só não achávamos que seria apenas um único fator, o de ter um humor positivo”, explica a líder do estudo.